Tem muita realidade aqui



Tomei para mim suas certezas, enquanto você pegou todas as minhas reticências. 

Decidi que jogaria limpo, mas quem foi quem disse que isso é um jogo? Ou melhor, um jogo honesto!? 
Mas é assim que tratamos tudo isso. Um jogo. 

"Senhoras e senhores, façam suas apostas. Coloquem seus corações na mesa, que já vai começar..." 

Não ria, você bem sabe como eu gosto de viajar nesses pensamentos. Mas é que, bom, não sei. Poderia ser diferente, né? Uma única vez. 
Podia ser nós. Juntos. Como se tivéssemos dado um nó, daqueles bem firmes. Mas tudo bem, eu entendo. Aliás, eu também tenho meus receios e você bem sabe. E se não, que fique sabendo. 

Mas é que eu sou clichê. Eu gosto do clichê.

Fico as vezes a pensar no dia em que vou dobrar a esquina de casa e você vai estar sentado aqui na porta e vai brigar comigo por que demorei e eu só vou rir por que não fazia ideia de que você estaria aqui. Ou então quem sabe um dia você decida aparecer por aqui sem avisar, sem pedir, sem ser convidado, vai entrar, e quem sabe (pra minha felicidade) você resolva ficar. 

Bom, esquece isso.

Não funciona assim. Em contos de fadas talvez. E é exatamente por isso que talvez eu prefira, como dizem "Nós a sós". Por que ai sim podemos criar nosso próprio conto, sem máscaras, sem formalidades, sem ter que "manter as aparências". Mas repito, esquece. Não funciona assim. 

Tem muita realidade aqui. 

Mas ainda não descobri nada que me impeça de sonhar e fazer dos meus sonhos, palavras.

Só com um olhar


Seu olho direito continua ficando menor do que o esquerdo quando você acorda? Seu sorriso continua sendo torto, daquele jeito maravilhoso que so o seu era? E a sua voz? Continua rouca quando quer cantar a música favorita de alguém? As vezes eu chego a ouvir o som da sua risada quando conto alguma piada idiota. Sinto falta de quando você me trazia algodão doce (rosa, que ainda é o meu preferido) em algum dia aleatório e alegava que era só pra me ver sorrir. Mal sabe você que bastava te ver pra que eu pudesse sorrir. 

Sinto falta também de quando você ficava emburrado, deitava do meu lado mas se recusava a responder minhas perguntas, e que me mandava calar a boca (as vezes me fazia calar) quando eu falava de outros caras so pra te irritar. Eu me mato mentalmente por não ter sido tudo. Não ter ido ate onde dava. E por não termos sido tudo que poderíamos ser
É que eu ainda te vejo como um menino que gosta de super-heróis e vejo um homem que tenta ser o meu super-herói o tempo todo. Vejo alguém que quer me fazer rir o tempo todo, ate com cócegas, o que se quer saber eu odeio, mas por ser você, eu aprendo a gostar. Assim como gradativamente eu aprendi a gostar de você.

Vejo um olho menor que o outro, o que é ainda mais notável nas fotos que, eu sei que você detesta. Mas eu nem ligo. Vejo mãos grandes e firmes, mas uma pele macia. Seu abraço é o melhor do mundo, é como se tivesse sido projetado pra me caber ali. E o braço direito que me acolhe as vezes durante a noite é o melhor travesseiro do mundo.  Vejo alguém que pensa no futuro. Mas que o quer realizar do meu lado. Que pensa em casar. Ter filhos. Uma casinha e quer tudo isso, comigo. Mesmo eu sendo a pessoa mais chata do mundo. 

Vejo um cara brincalhão, que chega a ser babaca a ponto de me irritar. Vejo também um cara, que e cem vezes mais romântico que eu, mas insiste em rir dos meus clichês. Ao mesmo tempo um cafajeste que não sabe em qual cama fica. Vejo um nerd que ama vídeo game, mas que ate encara um dia de trilha, só por que eu gosto. Que odeia ir em "festinhas" mas que ate arrisca uns passos pra dançar comigo e me fazer feliz.

Mas que verdade seja dita, estar com ele, em qualquer momento me deixa feliz.

Hoje, vejo alguém que apesar de ter demorado tanto pra assumir o que sentia, hoje, me faz sentir a pessoa mais amada do mundo. Que reclama todo dia do próprio peso, mas que ainda que se parecesse com o Jô Soares, eu o amaria.

Vejo um cara que me faz feliz, so com um olhar

Projeto fotográfico

Oi gente, tudo bom com vocês? 
Então sem muita enrolação tô trazendo de volta o projeto fotográfico, e a tag da semana é: 
O que me inspira
Peguei umas fotos de tudo que eu mais gosto (fotos que eu tirei, alias). Mas claro que não tem tudo que me inspira senão ia virar um post de 1602554 imagens hahah
Vamos as fotos:
 Decoração fofinha

 Lugares grandes com grande movimento de pessoas diferentes (Campus da PUC na foto)


Ler 



Lugares com muitas arvores, vegetação. 



 Pôr-do-Sol


Horizontes

Frases revolucionárias

E claro, fotografia.

Espero que tenham gostado deixem nos comentários o que inspira vocês,
 e deem ideias pro próximo projeto

Filme - Deus não está morto!


Deus não está morto é um filme de drama e religioso, foi lançado aqui no Brasil em 21 de agosto de 2014, dirigido por Harold Cronk ele conta a história de um jovem, Josh (Shane Harper), que acaba de entrar na universidade e cai diretamente na aula do arrogante e ranzinza professor de filosofia, Jeffrey (Kevin Sorbo). Logo em sua primeira aula com o professor Jeffrey, Josh e todos da classe são obrigados a escrever "Deu está morto" em uma folha. Josh, como cristão, se recusa a realizar essa atividade e então é desafiado pelo professor a convencer, em quatro aulas, todos da classe ao contrário, que Deus não morreu.  

O filme vai contando a história de Josh e também de vários outros jovens, com histórias parecidas, mas que são diferentes. Como a história de uma muçulmana com uma família muito tradicional a cultura, mas ela não acredita na cultura de sua família, e sim em Jesus. Também tem a jovem e conhecida jornalista, uma mulher nova que no ápice da carreira descobre ter câncer. Entre outras histórias que testam a fé dos personagens. 



Quando ouvi sobre o filme num grupo de whatsapp, fiquei muito curiosa pra saber do que se tratava, pensei que fosse apenas mais um filme religioso dos que ja estava acostumada a ver. Quando uns amigos disseram que o Cinemão ia ser com esse filme, juntei a fome com a vontade de comer e fui. 
Deus não está morto acabou me surpreendendo, o filme começou bom, mas sem nada a mais. Aos poucos ele foi me chamando atenção, me prendendo na historia e me fazendo prestar atenção na mensagem.

Os personagens são fortes, diferentes, mas com uma coisa muito em comum: eles estão sendo testados. Sua fé está sendo testada de todas as formas, começando por Josh que tem que falar na frente de toda uma classe e melhor, ter que provar pra cada um deles que a Fé supera a ciência. Em três aulas, ter que apresentar fatos para combater a teoria de um professor graduado e super renomado.


O filme tem uma sensibilidade incrível, abordando temas tão comuns e que fazem tanta gente se rebelar contra Deus, como doenças e sucesso, morte e tristeza. E conforme ele vai se desenvolvendo eu acabei me identificando com alguns personagens, e dá para sentir as aflições, sentir o medo que eles sentem. 


Isso não é bem uma resenha, critica, ou comentário do culhão do new york times. É nada mais que uma opinião baseada, já na minha fé e na minha autocritica de filmes religiosos.
O que mais gostei nesse filme é que não fala das provações antigas, mas das atuais, mostra gente que não nega a sua fé ainda que isso vá contra tudo que lhe foi ensinado.
E acho, que sendo cristão ou não, de tudo se tira uma lição. Acho que não se deve negar algo em que se acredita. Até que se prove o contrario, a sua palavra é a que vale.


Bom eu A-M-E-I o filme, tô suspeitíssima aqui.


Se virem o filme, deixem nos comentários o que acharam, e deixem sugestões de mais filmes pra eu ver e dar o meu pitaco HAHA. 
Por hoje é só, beijo e ate a próxima <3

Auto estima


À alguns anos eu tinha pavor de sair na rua sem maquiagem se eu não saísse pelo menos com lápis creon era como se o mundo fosse acabar, realmente, era o fim pra mim ver todas aquelas pessoas maravilhosas na rua, e eu lá com a mesma cara esquisita, cabelo estranho, a mesma roupa feia. Eu achava que para ser aceita, eu tinha que ser como todas as outras pessoas. 

Quando era menor o meu sonho de criança era ser loira do olho azul (não sei de onde tirava isso). Eu cresci complexada, todo mundo me zoava, não tinha muitas amigas, porquê não era como outras meninas da minha idade, eu queria brincar de bola, eu queria correr, queria pular, e isso mexeu na minha auto estima. Eu não me achava bonita o suficiente pra falar com outras pessoas, então eu comecei a me esconder eu comecei a me vestir de uma forma que as pessoas achavam legal. Mas eu não. 

E demorei muito tempo pra entender que a beleza não tá só do lado de fora. Existe sim beleza dentro, beleza de verdade.
Demorei muito tempo pra entender e não existe um padrão de beleza, não existe um molde certo. As pessoas são diferentes, as pessoas são particulares. 
Cada um com sua beleza, cada um com seu cabelo, cada um com o seu seu tipo de corpo, cada um calça um número, cada um veste um número, algumas pessoas são altas, outras, nem tanto. 

Algumas pessoas são gordinhas, outras não e é isso que faz cada um bonito, as diferenças. 

O que te faz de fato bonito, é quando aquilo que você tem por dentro, resolve sair. Quando você olha no espelho, com uma camisa listrada e uma calça xadrez e diz: Tô arrasando! 
E de fato está! Nada inspira mais a beleza do que a confiança, ou melhor, a auto confiança. Quando você se ama, quando você entende que você é a sua melhor versão, que não existe ninguém no mundo como você, que a sua digital é so sua, que a sua beleza é totalmente particular, ah meu amor, não há quem diga o contrario. Você é e pronto. 

Se amar em primeiro lugar, isso sim é bonito, te faz bonito. Nunca teve nada a ver com o que os outros acham, mas como você se sente,  porque primeiro você tem que estar bem com você mesmo e depois as bem com os outros. 

E se amar, não quer dizer estagnar e deixar o desleixo tomar conta, é buscar ser todo dia uma versão melhor de você,  tanto por dentro, quanto por fora. E acredite, não tem sensação melhor do que participar do #semmake #semfiltro e se achar linda de qualquer jeito.


Primeiro eu, segundo eu, terceiro eu. 
Agora é assim

Engordei! #Ficamagramaris


Oi gente! Sem muita enrolação hoje eu vim aqui falar de peso! Mas não só de peso. De saúde.
Quem me conhece a mais ou menos 3/4 anos pode perceber visivelmente o quanto meu corpo mudou nos últimos anos. Vivem falando que eu não paro de crescer. Mas não é só na estatura. Eu não paro de ganhar peso!
Apesar de que na minha infância eu sempre fui magra. (MAGRA. MA-GRA. Não gente vocês não estão entendendo, até os 12/13 anos eu pesava 43kg. Uma taboa de compensado, por que madeira maciça é até grossinha. haha) Nos últimos 3/4 anos eu devo ter ganhado quase 30kg num efeito sanfona. E quando me sentia um pote prestes a rolar, eu fazia dietas absurdas! Ficava mesmo sem comer, louca.
Por eu ser relativamente alta, comparado a outras meninas que conheço, nunca ficou muito a mostra o quão "pesada" eu estava.
Mas nos últimos dois meses, eu decidi colocar minha saúde em dia, marquei uma revisão geral. Todos os clínicos que você possa imaginar. Inclusive um nutricionista, que ficou impressionado com minha ganha de peso desde minha ultima consulta. Foram 17 kg a mais desde outubro de 2013. Sim, 17kg em 11 meses, é muita coisa! Então ele me passou uma dieta (Ah, esqueci de comentar, o meu nutricionista tá "envolvido" com o meu ortopedista que me mandou perder alguns quilos pra fazer fisioterapia por causa de um desvio na coluna e no joelho).

Uma dieta que não é bem uma dieta por que dietas rápidas (e loucas) não funcionam pro que eu preciso. Então ele me passou uma lista um tanto quanto grande de alimentos com fibras e etc. E eu conversando com minha mãe ela me disse: "Filhota, isso é reeducação alimentar" e também me ensinou algumas coisas sobre isso de emagrecer com saúde. Não é me privar de comer, é saber comer.



Historia contada, vamos lá.


1. Se você quer que a coisa funcione para sempre, esqueça a pressa e nem pense em dietas restritivas. Esse, infelizmente, não é o caminho e não existe mágica. Existe reeducação, existe disciplina, existe escolhaentre o prazer momentâneo, porque sim, brigadeiro de colher faz milagres pelo meu humor, e o prazer duradouro, que é aquele que a gente sente quando olha no espelho e gosta do que vê, quando a gente compra a roupa que quer porque sempre tem o nosso número, porque tudo cai bem. O que você prefere?2. Coma o que o seu corpo precisa, não o que os seus olhos desejam. Seria muito legal viver de pizza, sorvete e doces porque é gostoso, porque é fácil, porque é rápido, mas isso aí não alimenta seu organismo adequadamente, isso não fornece as vitaminas e minerais essenciais, isso não mata a fome do seu corpo, ao contrário, todas essas gordices são, na maioria das vezes, calorias vazias.
3. Pare de beliscar! Quando fui parar pra analisar meu histórico alimentar percebi que não fazia apenas 3 refeições principais e 2 lanches. Eu fazia uma refeição só, mas ela durava o dia inteiro, porque passava o dia todo beliscando sem parar. Acabava não “comendo” de verdade, mas me entupindo de besteiras, sempre calóricas, e por isso não entendia como estava engordando.  É preciso fazer 3 refeições principais, com osalimentos do bem, ou seja, frutas, cereais integrais, verduras e legumes. E é preciso, nos intervalos, fazer algum lanche, mas que seja algo leve e rico nutricionalmente. 
4. Cuidado com o açúcar! Uma das coisas mais importantes que consegui esse ano, e falo sério, foi conseguir reduzir drasticamente o consumo de açúcar. No início do ano passei 30 dias sem comer NADA doce, nada com açúcar e, mesmo sofrendo horrores, foi a melhor coisa que fiz. Meu paladar mudou e hoje tomo tudo sem açúcar, de suco a café, e não sinto mais aquela necessidade absurda de doces, sabe?
5. Faça escolhas inteligentes! Você é uma mulher, é adulta, é inteligente, não tem que se alimentar como criança (esse é meu mantra! huahuahua), então, por favor, vamos parar com essa história de comer salgadinho, biscoito recheado e fast food todo dia. Invista em alimentos “de verdade”, reduza os industrializados, descubra novas possibilidades, novos sabores e crie novos hábitos alimentares. Se você fizer isso, não vai precisar fazer dieta, garanto, porque ninguém tem compulsão, por exemplo, por salada de folhas, né?
6. Faça de suas refeições um ritual, porque isso faz toda a diferença! Quando a gente come vendo TV, na mesa do computador, passando mensagem pelo whatsapp, checando instagram, e-mail ou seja lá o que for, nem presta atenção no que está comendo, nem sente o sabor dos alimentos, e acaba comendo em maior quantidade e mais rápido. Mude isso, sério! Refeições devem ser feitas na mesa, com calma, comendo devagar, sentindo o sabor do alimento. Esse precisa ser um momento de prazer, não pode ser “no automático”.
7. Reduza as porções! Não acho que seja um crime comer um chocolate se é chocolate que seu corpo tá pedindo, mas é 1 e não a caixa toda. O mesmo vale pra todo tipo de comida, inclusive no café da manhã, no almoço e no jantar. Nada de porções enormes, nada de repetir o prato. Coma pra satisfazer o seu organismo, não a sua gula, não a sua vontadeA gente tem que comer pra “matar a fome” do organismo, não a fome emocional, não o vazio, não a ansiedade, não a insatisfação. Entende a diferença?
8. Beba mais água! Às vezes o que a gente pensa que é fome não passa de sede, então antes de “atacar” qualquer coisa tome um copo de água e aguarde 10 minutos, se depois disso a “fome” não passar, coma algo. É preciso hidratar o organismo ao longo do dia, então tome pelo menos os tais dos 8 copos de água diariamente. É legal também apostar em chás (procure orientação de um médico ou nutricionista), e eu adoro o chá de cavalinha e o de alecrim, que tomo todos os dias.
9. Não invente desculpas! Eu fiz isso a vida toda e posso garantir que o “leque de desculpas” não tem fim, mas a grande verdade é que quem quer faz e ponto. Claro que não é fácil, é péssimo ter que resistir às tentações, mas você precisa assumir o controle da sua alimentação, do seu corpo, da sua vida. Só depende de você! 

Exercício do Dia:

1. Durante todo o dia anote tudo o que você come, tudo mesmo. No dia seguinte analise cada uma das coisas que você comeu e bebeu. Em uma folha coloque tudo aquilo que é alimento de verdade e no verso da folha coloque tudo que é gordice. A grande maioria vai se assustar com a quantidade que come, e, pior, com as besteiras que come. São essas besteiras que você precisa evitar!
2. Adote por 7 dias essas regras e veja como se sente depois:
  • Pare de “beliscar”.
  • Evite alimentos industrializados, evite refrigerantes, evite os molhos gordurosos e evite o fast food.
  • Coma frutas, legumes e cereais integrais todos os dias.
  • Como devagar, mastigando bem, sentindo o sabor dos alimentos e, principalmente, faça suas refeições na mesa (e claro que a mesa do computador não conta!).
  • Tome mais água, chás e sucos.
  • Reduza suas porções.
Conseguiu fazer isso durante os 7 dias? Se presenteie! E não, não é comida… É uma biju maravilhosa, uma blusa incrível, um livro inspirador ou algo do tipo. A cada conquista se mime um pouco, porque  isso tem um efeito psicológico bom, sabe? Deixa de ser uma “restrição” pra ser uma “premiação”. - Post original

depois que vi esse post, em um outro blog, acho que foi mais fácil tomar vergonha na cara a respeito da minha alimentação, principalmente onde ta escrito: ". A gente tem que comer pra “matar a fome” do organismo, não a fome emocional, não o vazio, não a ansiedade, não a insatisfação. Entende a diferença?" senti a mão saindo da tela e batendo na minha cara, por que quando eu tô feliz eu como, se to nervosa eu como, se to com sono eu como, se eu como eu como (deu pra entender né?).
Então, agora, oficialmente, damos inicio a tag #ficamagramaris.
A meta, e o recomendado pelo fisioterapeuta feat nutricionista é -8kg no minimo, pro meu joelho n sofrer mais. Vamos ver em quanto tempo eu chego lá.

Acompanhem a tag no twitter, no instagram #ficamagramaris
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...