Ferias = DYI

Olá meninas! 
Bom como estou de folga tanto do senai, quanto da escola, quanto de toooodas as outras coisas que faço... Eu andava com a cabeça muito vazia e tal, e, como o natal tava chegando eu queria fazer um look mais "minha cara" por assim dizer. Então eu resolvi tingir e rasgar uma calça jeans antiga e fotografei pra vocês verem e quem sabe se inspirarem












 Primeiro temos que molhar a calça, se não a tinta não fixa


Mais uma, entre tantas bobagens




Já era tarde, 23:43hrs pra ser exata e eu ainda sentada naquela mesa do bar com mais duas ou três amigas.
-Ei garçom, me trás mais uma dose disso aqui. -Disse eu já alterada.
Ele trouxe e eu bebi como quem quisesse se afogar, ou afogar algo dentro de si.
Minha amigas perguntaram pra mim o que estava acontecendo, perguntaram se era você que me causava isso. Neguei.
Aí surgiu o assunto que me fez ter vontade de escrever hoje...
Ao certo não sei bem quando surgiu esse tema na nossa mesa, talvez tenha sido quando meu celular vibrou e era você, dizendo que sente minha falta. Não sei.
Mas eu e minhas amigas começamos a comentar, será mesmo que o amor é tudo isso que costumam dizer? Será que o amor faz mesmo sofrer, será que o amor, machuca mesmo, sera que só "fode" com as pessoas?
Discordamos.
Tínhamos pontos de vistas parecidos, mas nenhuma conclusão fixa.
Pensamos que o amor não é aquilo que mata nem aquilo que dói. É aquilo que cura, que alivia.
Não achamos que amor é um peso, uma carga nem muito menos uma angustia. É aquilo que vem pra tirar tudo isso de você.
Isso que as pessoas definem como amor, aquilo que dói, que maltrata, que engana... Talvez, não seja amor. Só mais uma ilusão quem sabe.


Mais alguns minutos de conversa se foram e o assunto não mudou, acho que o álcool já estava fazendo efeito na minha cabeça quando tudo isso aconteceu. Mas continuamos...

Acreditamos também que amor é um só, pra toda vida. Mesmo que não seja eterno, vai ficar guardado com você por muito tempo e toda vez que você se lembrar, não vai se lembrar "dele" como o cara que "fudeu" a sua vida, mas sim como o cara que te mais te fez feliz. 
Que te fazia arrepiar com um abraço, que fazia borboletas voarem em seu estômago com uma simples sms, que fazia seu coração acelerar com qualquer palavra, que te fazia esquecer todo o resto quando estavam juntos, que fazia você sentir nojo de se imaginar ao lado de outra pessoa, o cara que quando você se despedia, já tinha vontade de voltar correndo, que te fazia perder noites de sono. Você vai lembrar dele com um sorriso besta no rosto, daquele mesmo que você só dava ao lado dele, você vai lembrar dele como aquele cara que por mais que você odiasse todas as vezes que ele queria sair pra "curtir" você não conseguia ter raiva um segundo se quer, por que vê-lo feliz, bastava pra você esquecer todas aquelas ameças de "eu vou terminar com você se você não mudar"
Você ainda vai lembrar dele como aquele cara que por mais que aprontasse com você, você perdoava, por que a sensação de ser a prioridade na vida dele era muito mais gostosa do que qualquer outra coisa.
 Daqui uns anos, se for amor... Não vai haver rancor, ainda vai ser amor.

Monotonia



E hoje, depois daquele "adeus" com gostinho de "deixa eu ficar mais um pouco", senti um aperto no peito, um nó na garganta. Uma dor que vinha lá do fundo, não do coração, mais fundo... Vinha da alma. Ela me pediu pra voltar lá. Bater na sua porta e  te dizer que a nossa história não acabou. Que eu te amo e que eu sei que você também me ama.

Mas não, tudo que eu consegui fazer é colocar os fones de ouvido, dar play na nossa musica e com os olhos cheios de água, olhar pra trás, pra ver se você estava lá na porta me esperando. Mas foi em vão. Você não estava.

Então segui em frente, passei por aquele caminho que você sempre odiou que eu passasse - mas isso foi só de pirraça.

Coloquei novamente meus fones, apertei o play, naquela playlist que mais me lembra você e segui meu caminho, chegando ao fim daquele morro, vi um casal no carro,se despedindo... Lembrei de todas as vezes em que saímos, e quando chegava a hora, nos despedíamos exatamente daquele jeito! Meu peito se apertou ainda mais, minha garganta deu um nó e a primeira lagrima caiu quando o refrão daquela nossa musica tocou.

Não sei se foi por causa da quantidade de lagrimas que estavam tomando conta dos meus olhos, ou se era por saudade de você, mas tudo perdeu a cor, tudo ficou monocromático e monótono, tudo cheio de um vazio. Um vazio onde eu tenho certeza, que só você é capaz de preencher.

Mais um sobre você




Nunca soube o que dizer, quando o assunto é eu e você. Ainda mais quando se trata de esquecer.  Já faz três anos, desde aquele beijo, naquele lugar em que você conhece bem. E quando passa por lá todos os dias por volta das 19:00 hrs isso deve te cutucar ai no fundo, talvez você não saiba o que é mais eu te digo, sou eu, somos nós.
Desde aquele dia, meu coração palpita da forma mais mágica de todas, chega a se parecer uma musica, indecifrável aos ouvidos de quem não conhece. Mas nós, sabemos do que se trata, assim só basta. Até por que, de nós dois, ninguém jamais saberá tudo.

Mas como disse, ali em cima. Eu não sei o que dizer, quando se trata de te esquecer.

Como posso, se cada pedaço do meu corpo implora por você, todas as noites quando entro no meu quarto "aquela cena" se repete mil vezes em um segundo na minha cabeça.
Como posso te esquecer, se aquela nossa musica insiste em me seguir.
Como posso te esquecer, se a nossa foto esta no meu trecho favorito, do meu livro favorito.
Me diz, como posso?
Minhas tardes jamais serão as mesma sem seu beijo, seu seu abraço sem sua cabeça no meu peito ouvindo as batidas do meu coração, sem eu te olhar dormir.
Mas não posso mais aceitar te ter pela metade. Por mais que me doa, por mais que sangre. Eu não posso mais te ter apensa pela metade. Eu espero o tempo que for, eu te espero voar, conhecer novos mundos. Procurar em outros abraços meu calor. Procurar em outro alguém isso que você vai achar só aqui. Tentar achar alguém que vai conhecer seus gostos como eu, seus gestos como eu conheço, cuidar de você como eu cuido...
Voa, você está livre. Mas quando perceber aonde é o teu lugar, volta logo pra casa.
Eu vou estar aqui, no mesmo lugar, aonde você me deixou.
Mas volta mesmo, volta pro calor do meu corpo em contato ao seu, volta pra minha cama, pra minha mão indo em busca do teu cabelo, volta pras minhas tardes, volta pra nós dois deitados olhando um para o outro, pra nossa respiração quente se misturando uma com a outra, volta pros meus carinhos, volta pros meus cuidados, pra deixar de ser eu e você, volta pra voltar a ser nós.
Volta?
Deixa cuidar de você, por mais uns 100 anos?

Mas esse, é só mais um sobre você. Só mais um dos 17 que estão ali no bloco de notas, esperando o coração apertar de saudade e resolver te eternizar entre as minhas palavras.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...